quarta-feira, 29 de julho de 2009

Diga não aos julgamentos preconceituosos...




Julgamos muitas vezes sem ao menos conhecer, evitamos, nos omitimos.
Sabemos julgar, mas fazer uma reflexão sobre o que tudo nos rodeia fica difícil. Fazemos a nossa auto-análise sem conhecer os fatos, nos manifestamos e até nos mostramos preconceituosos (...).
Por isso...Conheça-me antes, olhe dentro de mim!!!
Não abra tua boca, sem saber de minha história.
Não venha me julgar...!
Quem é você?
Deixe-me apresentar, antes do teu julgar.
É fácil falar, mas antes, venha comprovar!
Não sou Perfeita, não sou Santa!
Tente experimente, conhecer um pouco de mim...
A pessoa que você ignora e julga!
Pouco sabes de mim.
Pouco sabes do meu viver.
Poupe bem tua língua.
E venha antes me conhecer.
Depois que tiver certeza de quem sou, antes de sua saída,
se olhe no espelho, e vá dizer o que encontrou, pq até o espelho teve medo
do seu julgar!!!
Ficou quieto para não correr o risco de quebrar, e o seu reflexo no espelho
em pedaços ficar.
Pense bem antes de julgar!
Quem tem telhado de vidro, não pode pedras atirar...
...E mesmo que telhado de vidro, não tivesse.
Há sempre uma brecha, por onde o vento entra.
E pode causar estragos maior que uma pedra.
Por isso digo...
Quem és tu, para me julgar?

Como dizia o Augusto Jorge Cury, “ouvir aberta e despreconceituosamente o outro e não ouvir apenas o que se quer ouvir. Expandir o mundo das ideias (pensar) através do uso da inteligência (a arte da pergunta, dúvida, crítica, observação...)”.