sexta-feira, 5 de fevereiro de 2010

será que existo...? Ou será apenas a existência que vive em mim!!


A existência de nós me choca todos os dias.
Não sei se por sua beleza e graça ou se por tão difícil. A vida de todos é difícil, de todos.
E são todas também belas, repletas de sorte, de grandes feitos, encontros poderosos, presentes de Deus. Todos os seres-humanos com quem já conversei me surpreenderam com suas vidas. Às vezes surpreendi-me com a banalidade de suas vidas, surpresa na verdade com as atrocidades que tais pessoas sofreram e sofrem até chegarem ao cúmulo de se tornarem banais.
Sempre estive entre gente bonita e gente feia, amigos velhos, adultos, crianças. Num dia estou entre milionários, no outro estou entre gente humilde, humilde mesmo. Todos são ricos. Todos respondem a pelo menos uma das minhas tantas perguntas sobre o mundo, sobre mim mesma. Todos me suscitam novas perguntas.
O que é o homem, a mulher, o ser, senão uma lista de vitórias sobre histórias tristes? Não sei, não sei mais do que isso sobre este assunto. Sei apenas da minha pré-disposição tão piegas ao amor e ao encanto pela vida humana. Sei que hoje, quando acordei, não conseguia ver graça em ninguém, nem em mim mesma!