quarta-feira, 4 de junho de 2014

Um amor disponível para chamar de seu...


Para dar certo, um relacionamento não precisa de belos olhos azuis, um corpo escultural e um olhar de parar o trânsito. Tudo isso é bônus ou uma deliciosa consequência. Mas, a pessoa certa não será aquela com o perfume mais caro ou o emprego do ano. Ela precisará simplesmente estar disposta a viver do seu lado sem hora marcada para partir ou, pelo menos, sem o desejo de ir embora antes da hora. Precisa ser capaz de abandonar compromissos secundários, deixar algumas bobagens para depois, ou, hoje em dia, simplesmente ser capaz de passar um dia do seu lado e longe do próprio celular.
Não há nada mais cruel do que se apaixonar por alguém que não está disponível para receber o seu amor e muito menos disposto para amar você. Para onde vai o amor que entregamos, quando aquela pessoa que amamos não o recebe? Para onde a rejeição leva este sentimento? O que acontece com o sentimento desperdiçado? Evapora? Seria incrível se ele pudesse voltar para dentro do peito daquele que ama e se transformasse em amor próprio.
Infelizmente, não é bem isso que acontece. Quem ama, sem ser amado, demora a perceber o quanto está desperdiçando o seu tempo e a sua felicidade com o pouco que o outro tem a oferecer, ou nem isso. Quando percebemos, é sempre tarde e a recuperação é incrivelmente dolorosa, assim vamos perdendo mais um tempo bom da nossa vida. E não acredito na ideia de que amamos sem esperar nada em troca. Isso não é amor, é caridade. E até mesmo na caridade, muitos de nós esperamos algo em troca. Seja o reconhecimento dos outros ou um consolo moral.
Mas o amor não. O amor precisa da reciprocidade para florescer e dar bons frutos. O amor precisa do desejo em comum de duas pessoas dispostas para que possa valer.
Por mais que o simples fato de amar alguém nos traga boas sensações e pareça nos preencher, não há quem resista amando sozinho por muito tempo.
Ninguém gosta de falar sozinho, sorrir para o outro sem receber um sorriso de volta, ninguém gosta de sair para jantar sozinho, abraçar sozinho e muito menos amar sozinho. Nós sabemos que sentimentos não são baratos para sairmos distribuindo sem nenhum porquê, sem nenhum motivo especial ou a esperança de que alguma coisa se encaixe. Amar requer dedicação, compromisso e um olhar sempre atento para o outro. E ninguém se dedica sem esperar o mínimo de resposta.
Quem é que planta uma semente e consegue dizer que não tem expectativas de que ali cresça uma flor?
Aqui não há fadas, castelos ou promessas de final feliz. Você pode gastar todo o seu tempo amando um príncipe que nunca estará verdadeiramente afim de você e perder momentos preciosos da sua vida, ou pode prestar atenção ao redor e descobrir que há um sapo bem do seu lado, porém ele está disponível e disposto para amar você – o que me parece infinitamente melhor do que um conto de fadas.


"ELA SÓ QUERIA UM AMOR QUE TIVESSE CHEIRO DE MAR."
A SOMBRA DO MAR - CAMILA HELÓISE.

By San

Mais triste do que ter que segurar um choro, é ter que segurar um beijo.  



 

Nenhum comentário:

Postar um comentário