quinta-feira, 5 de março de 2009



Na escola da vida somos sempre iniciantes...



Há muitos textos que falam das lições que aprendemos na vida. Esse seria apenas mais um se não fosse o MEU. A minha visão, as minhas lições, os meus conselhos, o meu "Use filtro solar"!
Porque agora, após anos de vida, e muitos tombos, também tenho minhas conclusões. Estou fechando mais um ciclo e iniciando outro. Mas, dessa vez, em grande estilo, com muitos aprendizados e um coração repleto de felicidade! Enquanto isso...Aprendi que, na vida, temos apenas o que desejamos. Porém, antes de desejarmos, precisamos saber se o que queremos, é o que verdadeiramente vai nos fazer felizes.Aprendi que damos valores à coisas sem importância. E quando conquistamos o que não nos importa mas achamos que têm valor, percebemos que só valorizaremos o que tem quando perdermos o que não importa.Aprendi que, mesmo assim, nunca é tarde prá recomeçar. Resgatar as crenças. Reencontrar a essência.Aprendi que às vezes devemos deixar o Id falando sozinho. Porque se o ouvirmos sempre, mais cedo ou mais tarde, seremos cobrados pelo nosso Superego e o Ego que vai pagar a conta.Aprendi que nada, nunca, é do jeito que idealizamos. Que o real, o concreto e o simples é muito mais complexo do que qualquer ilusão.Aprendi que a felicidade vem do genuíno, do franco, do natural. Não há que se comprar felicidade. Nem que se fazê-la. Muito menos conquistá-la. Há apenas que se permitir vivê-la...Aprendi que as pessoas não são totalmente boas. E que aquelas que realmente nos amam, nos provocarão sentimentos ainda mais contraditórios. E mesmo assim, continuaremos amando-as.Aprendi que família foi uma escolha, em algum momento de nossas vidas. Ou até antes delas. Mas, que por alguma razão, está em nosso caminho. E, por mais que reclamemos, sentiremos falta certamente algum dia (esteja ela presente ou não). Por isso, temos que conviver mais e reclamar menos.Aprendi que saudade dá e dói. Mas que podemos matá-la. Principalmente se a pessoa estiver perto. Um telefonema, um e-mail, uma mensagem. Podemos demonstrá-la de outro jeito qualquer que não seja só através de uma oração.Aprendi que o amor surge de onde menos esperamos sim. E no momento em que mais estamos desavisados. Porém, sabemos que lá no fundo ele é o que mais desejamos viver. Por isso que chega.Aprendi que nas pessoas há algo muito mais valioso do que o que elas aparentam, o que elas têm, o que elas exercem, o que elas fazem. Aprendi que há algo chamado essência que não muda, em nenhuma dessas ciscunstâncias. E é isso que nos atrai. E que torna uma pessoa importante em nossa história.Aprendi que a vida é feita de escolhas. E que cada escolha tem sim sua consequência. E que somos formados por elas.Por isso, hoje, sou o que sou por causa de todas as escolhas que fiz, durante esses anos. Umas certas. Outras, nem tanto. Mas todas que, por caminhos certos ou tortuosos, me fizeram aprender o que hoje sei e me tornou uma pessoa ainda melhor. E são as mesmas escolhas que me dão a certeza de que continuarei aprendendo e terei, daqui a um ciclo, muito mais coisas prá contar...

2 comentários:

  1. Chegaste a uma linda conclusão e reflexão!Muito bom! um beijo,chica

    ResponderExcluir
  2. Cara Amiga Carpe Diem,

    Vim "aportar" ao seu blog porque estava "navegando" entre outros blogues...

    E vim encontrar este texto, muito bem escrito, onde questiona o momento presente e se interroga sobre o que já fez ou deixou de fazer.

    Todos os seres humanos possuem duas naturezas em si. Uma, podemos chamar-lhe ego, personalidade, eu inferior, etc. (o nome não importa muito), questiona, compara, faz juízos de valor e quer sempre ter mais. TER é o seu lema.

    A outra natureza, Eu Superior, Consciência, etc. é de Paz, de Tolerância, tudo observa, porque considera que o Tudo e o Nada, fazem parte do TODO. E perdoa, porque quem não sabe perdoarnão sabe a dádiva que sso constitui.

    Por qual destas natureza nos regemos? Por aquela a quem prestarmos toda a nossa atenção.

    Se o mundo é todo energia e esta funciona sempre entre os polos positivo e negativo, a CONSCIÊNCIA é a ponte entre os dois polos que são apenas as duas faces da mesma moeda.

    Ao prestarmos toda a nossa arenção ao que estivermos a fazer, tanto podemos orienta-nos para a positividade como para a negatividade.

    Sendo assim, e se tudo interage com tudo, é a nossa intenção e atenção amomento presente, que direcciona a nossa vida, atraindo os factos e pessoas que são atraídas pelo polo em que estivermos a viver: Ou negativo ou positivo.

    É por esta razão que a vida pode ser por nós orientada num determinado sentido. Logo, mesmo os factos que ocorrem, servem apenas para que os ultrapassemos e não para que estes nos ultrapassem a nós.

    Quando prestamos TODA A NOSSA TOTAL E COMPLETA ATENÇÃO a algo ou alguma cisa, estamos a protagonizar o grande mistério da criação. O Criador, seja ele quem for (Deus, Ponto Cósmico, a Divindade, O Ponto que continha toda a energia do BIG BANG), estruturou o Universo para se poder observar a si próprio. Então O OBSERVADOR, A COISA OBSERVADA E O PROCESSO DE OBSERVAÇÃO, fazem parte do mesmo todo, tal como em todas as grandes religiões existe sempre a trindade.

    Ou seja, somos nós que, conhecendo as leis universais que regem a Grande Vida, e integrando-nos na sua corrente, conduzimos a nossa vida. Podemos fazê-lo conscientemente ou inconscientemente. Mas estamos sempre sujeitos à lei da Causa e Efeito.

    E por agora é tudo, querida amiga. O seu post daria "pano para mangas", mas estamos apenas num blog.

    Muitos parabéns por essa reflexão e convidamo-la a passar numa das nossas "casas" ou em todas, sequiser.

    Um grande abraço

    José António

    ResponderExcluir