quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

Não há remédio que te deixe imune ao passar do tempo. Nem comprimido que impeça seu corpo de doer de saudade.

Com o passar dos anos todas as coisas vão embora. As ruins e as boas. As decepcionantes e as inesquecíveis, sem distinção. É tão óbvio isso, mas nunca pensamos a respeito, talvez por ser difícil demais admitir o quanto isso é assustador – como todas as coisas inevitáveis sabem ser. E só quando alguma coisa nos faz falta é que paramos para avaliar tudo aquilo que perdemos pela jornada. Os melhores amigos já não são os mesmos, o sonho que tinha o jeito de ser para sempre, sucumbiu faz tempo. Até mesmo a esperança em muitas coisas que nos parecia valer a pena, está mofada. Isso porque enquanto você passava correndo apressado pelas pessoas na rua para não perder hora, a vida estava voando. Enquanto você não retornava as ligações do seu amigo, outros amigos retornaram e você não foi mais convidado para os encontros dos colegas. Quando você não quis ouvir o que o outro tinha a dizer, ele encontrou alguém disposto. Quando você não quis pedir desculpas e abrir mão do seu orgulho, o tempo afastou de ti os mais essenciais. No momento em que optou por não falar algo importante que poderia mudar o destino de muitas vidas, você alterou o seu próprio destino se sabotando. Só teve tempo de acumular lembranças superficiais que vão doer toda vez que pensar que poderia ter sido mais autêntico e verdadeiro. Mais intenso ou menos covarde.
Cuidemos então de nós e de tudo o que ainda temos. Porque a injustiça do tempo é para todos. O tempo não vai te olhar nos olhos e perguntar se você foi um bom menino, ou uma boa menininha, nem te poupar porque sempre foi generoso com o outro. O tempo é o mesmo, para mim e para você. Então proteja o que faz diferença em sua vida. Aquilo que ainda consegue te arrancar a dor do peito. Aquilo que te pinta um sorriso no rosto com imensa facilidade. Que te dá colo com palavras, gestos e até nos silêncios consegue te devolver a calma. Cuide de tudo o que te importa como quem cuida de um filho, ou de um grande amor. Com todas as lágrimas que forem necessárias, com todos os sorrisos que vierem.
Não existem formas de evitar que as pessoas se percam, mas, podemos fazer valer o tempo em que ainda estivermos junto delas.

(Camila Heloíse)


By San


Não existem formas de evitar que as pessoas se percam, mas podemos fazer valer o tempo em que ainda estivermos junto delas.



         

Nenhum comentário:

Postar um comentário