terça-feira, 16 de fevereiro de 2010

DIVÃN "Nostalgia..."


Estou aqui! Alguém pode me ouvir?
Era possível ouvir minha voz se completando num eco. Gritei mais uma vez. Mais duas. Nada. Será que ninguém viu a cena que eu fiz? Ninguém pode compreender os meus atos? Minhas falas tão bem formadas? Ninguém?
E grito mais uma vez.
A solidão é uma companhia calada, admito. As paredes do meu quarto me encarando. Não há nada. Só uma menina desesperada por atenção. Se ninguém ao menos pode me ouvir como posso ter a audacia de desejar que leiam meus olhos?
Ninguém jamais conseguirá os ler!!!
Então os próprios se enchem de lágrima, seria fácil agora, chega a estar berrante. Mas ninguém está quando eu choro. Quando quebro todas as defesas, todas as enganações comigo mesma... Ninguém vê! Só a solidão...Que agora apoia a mão no meu ombro e me segura pelas mãos.
Não adianta gritar, diria ela se pudesse se expressar, estou aqui. E mais uma tarde se passa. Nada muda. A mesma cena. A mesma platéia. Minha vida toda, assim.


Um comentário:

  1. A vida inteira é a solidão na compania da multidão. Rostos fechados muitas das vezes às apalpadelas denro da própria consciência. à procura de quem somos fechados dentro de um protecção a que chamamos delicadamente corpo e a nosssa mente não chega a ninguém, nem mesmo aos nossos queridos. Parabéns pela escrita e pela boa escolha de musica.

    ResponderExcluir